sexta-feira, 29 de julho de 2011

"O SÓBRIO ADMINISTRA, O NEURÓTICO CRIA" Walter Clark

O vento passa-me sobre a cabeça,
barcos repousam na baía de São Marcos
que, vazia, expõe uma lama poluída
e a terracor da Ponta D'Areia.

Na sombra do coqueiro
bebo e fumo com alguns amigos.
É muito bom respirar.
É muito bom viver.
É muito bom lembrar,
que me encontras,
que te encontro.

E, se, somente se,
cada dia, dia a dia,
todos os dias,
me desejares,
e eu a ti,
e toda a química,
toda a física 
forem acionadas,

Serão os teus lábios
teus olhos,
tua bunda,
tuas pernas
e serão 
os meus lábios,
os meus olhos,
minhas pernas
nosso tesão,
nosso bem querer.

Graciosa flor
em meio ao espinheiro humano
teimosa em ser flor,
ser paz,
prazer.

O FRUTO DA IRA É DOCE

quinta-feira, 21 de julho de 2011

SIDARTA

Vivo.
Vejo transformações que jamais vi,
ousei sonhar.
Eu mesmo me transformei tanto.
E em tudo isto há uma grande melhora.

O FRUTO DA IRA É DOCE

segunda-feira, 18 de julho de 2011

COSMOS

Cada
segundo
é
vivido
como
ele
é:
algo que se perde.
Cada
segundo
é
vivido
como
ele
é:
algo que se pede.
O FRUTO DA IRA É DOCE

quinta-feira, 14 de julho de 2011

BELA DA TORRE

Espera-me na alta torre
uma linda donzela
meiga e sorridente.

Por púrpura cortesia  de seu gentil coração
abre-me as portas de seu morno refúgio
onde o risorrio deságua em caríciascarinho
e lá fico, até que a aurora anuncie os seus galos.

Acorda-me temerosa que o mundo 
desencante o encanto do noturno visistante
e com rápidos gestos despede-me.

Fora, farejo o ar.
Ainda em meus dedos há o seu perfume.

O FRUTO DA IRA É DOCE

terça-feira, 12 de julho de 2011

NAVEGANTE

A vida é uma vela ao vento.
Velejo. Leio. Elejo. Jogo.
Velejas. Lês. Eleges. Ages.
Produzimos nosso encontro.

Cada dia guarda sua dose in de certa incerteza.
Vejo-me poeta, profeta, perscruto horizontes,
espero desvelar portos.

Minha pequena nau, azul, blau
conduzo e conduz-me.

O FRUTO DA IRA É DOCE

sábado, 9 de julho de 2011

AO PÓ VOLTAREI

Sei que  sou matéria.
Matéria degenerativa,
degenerada,
matéria matéria,
galo galo, Gullar.
Matéria material:
unhas, cabelos, calvície.

Matéria oceano,
matéria mar,
matéria da mesma das galinhas
que nada deseja senão à natureza ver-se igual:
cósmico e belo.

Para que eu possa 
na meada das palavras
catar os ícones desta era
e na bacia das idéiaságua
com habilidade artesã
recriar, refazer o imaterial,
o sonho, o sublime.

O FRUTO DA IRA É DOCE

sexta-feira, 8 de julho de 2011

segunda-feira, 4 de julho de 2011

CONFISSÃO

Eu,
imbecil,
que agora
escovo  as esperanças,
enfuno o ar militante
e despejo o vento planfetário
nas ruas da cidade,
não esqueço:
o sonho é a materialização da vontade,
a vida maior que o discurso,
revolucionário, a destruição
de qualquer poder.

EM PAR, ÍMPAR

sexta-feira, 1 de julho de 2011

MUITO ALÉM DO BEM E DO MAL

Meu pão é duvidoso:
ronda-me a fauce da fome.
Ainda busco ofício operoso
que a vida dê nome.

Distante da heresia,
agônico viajante,
bicho tinhoso,
solitário diabo urrante.

Na vida leio a vida.
Assim a estrada está dividida:
de um lado a borboleta;
do outro a margarida.


EM PAR , ÍMPAR